17 de novembro de 2009

Renée - Parte IV: Tragédia

Eu estava gostando muito de ficar hospedada naquele lugar. Tinha condições financeiras boas, tinha um lugar bom para morar, tinha emprego, tinha companhia. Quando parecia que tudo ia dar certo, meu mundo desmoronou.

A Sra. Linch, que já era uma espécie de mãe para mim, teve um ataque cardíaco. Como não tinha filhos ou família, ela deixou todos os seus bens para mim. Entre eles, um carro e a pensão.

Se eu já estava abalada com a morte dela, não poderia descrever o que senti naquele momento, quando soube do testamento. Não, não foi alegria. A pensão estava afundando em dívidas. Sem hóspedes, sem dinheiro e com um emprego que não conseguia pagar tudo, fiquei depressiva.


Com a depressão, veio o vício. Comecei a depender de álcool. Toda noite, eu saía e entornava. Era horrível, eu sei, mas era o único jeito de "melhorar".

Então, numa noite, eu tinha saído para mais uma noitada. Eu voltava para a pensão, completamente desnorteada, quando aconteceu.

Eu estava ouvindo música nas alturas. Via placas passarem como borrões, em alta velocidade. Lembro de pouca coisa desse dia. Tudo que eu lembro é que vi um borrão vermelho logo acima de mim. Duas fortes luzes brancas foram ao meu encontro, ouvi gritos, fui jogada para frente e tudo desapareceu.

3 comentários:

Fernanda Cardin disse...

amooo seus textos! são super criativos e da muita vontade de continuar lendo! eu garanto que sou uma leitroa fiel ;] hahaha
continue assim !
beijos linda

Fernanda Cardin disse...

emocionante !! ^^
to adorando essa historia !!

Cáh disse...

Yay, obrigada ^-^

Jájá publico o resto. É um texto de meses atrás, e o final não se adapta ao blog. Mas vou continuar escrevendo agora (o que estímulo não faz comigo =X) *-*

Postar um comentário